Alimentação na Prevenção do Câncer – Parte I

De acordo com dados do INCA (Instituto Nacional do Câncer), os hábitos alimentares das pessoas são um dos fatores de risco mais comuns para o surgimento do câncer. Porém, existem outros fatores que acabam ajudando nesse processo também, os quais são: alcoolismo, tabagismo, sexo sem preservativo e estilo de vida inapropriado.

Podemos saber quais são os riscos envolvidos no consumo dos alimentos a longo prazo, através do estudo da composição química dos mesmos. Certos tipos de alimentos podem propiciar um ambiente favorável para que as células cancerosas se proliferem, isso foi estudado e comprovado. Veja agora os alimentos (segundo seus grupos) que são prejudiciais.

           1 – Alimentos com níveis significativos de agentes cancerígenos

O nitrito e o nitrato fazem parte de diversas substâncias utilizadas para conservar os alimentos, os quais acabam se transformando no estômago em nitrosaminas (potente agente cancerígeno). Os alimentos que contêm a presença dessas substâncias são: salsicha, picles e alguns enlatados.

           2 – Alimentos expostos a substâncias com ação carcinogênica (potencializam o desenvolvimento do câncer)

Os defumados e o churrasco são impregnados pela fumaça do carvão, o qual é rico em alcatrão, que por usa vez, possui  uma ação carcinogênica. O alcatrão é responsável por diversos tipos de câncer associados ao tabagismo. Os alimentos são: peixes salgados, carne de sol e outros alimentos conservados em sal, os quais estão associados ao câncer de estômago especificamente.

           3 – Alimentos ricos em gordura

A gordura é responsável pela obesidade e por problemas cardiovasculares, o que é uma das principais causas da proliferação de células cancerosas. Ela também favorece o câncer de mama. Os alimentos responsáveis são: carne vermelha, molhos à base de maionese, frituras (salgadinhos e fast-food), bacon, salsicha, presunto, mortadela, linguiça, entre outros, os quais devem ser evitados ou consumidos com moderação. Leite e derivados também são fontes de gordura, assim, como são fontes de outros nutrientes importantes como o cálcio. Por isso, devem ser consumidos com moderação.

A forma como os alimentos são preparados como frituras ou carnes na brasa, por exemplo, podem agravar o problema, ainda mais se a pessoa possuir uma alimentação pobre em fibras, rica em gordura e calorias. O armazenamento dos alimentos, quando feito de forma inadequada, pode levar à formação de alguns tipos de bactérias e fungos, que são capazes de produzir toxinas cancerígenas.


Tenho 24 anos, sou Nutricionista graduada pela Universidade Anhanguera de São Paulo. Escolhi essa profissão por ela permitir que eu cuide da saúde das pessoas e leve o conhecimento necessário para que elas possam ter uma vida saudável.

Nenhum comentário

Deixar uma resposta

*