Distúrbios que Ocorrem no Sistema Digestivo – Parte II

No post anterior, falamos sobre alguns distúrbios do sistema digestivo. Na continuação, veremos outros distúrbios e quais as medidas para evitá-los.

Úlceras: são erosões da mucosa, geralmente localizados no duodeno ou no estômago, decorrentes da baixa produção de muco, o qual é uma substância alcalina que protege essas regiões. Elas são consideradas um problema muito sério, pois quando não são tratadas imediatamente, podem acabar atingindo grandes áreas, sendo necessária uma remoção através de cirurgias. Pode haver também mortes, já que trata-se de feridas que perfuram o tecido.

Constipação intestinal: é também conhecido como prisão de ventre e ocorre através do processo inverso à diarreia, ou seja, os movimentos peristálticos intestinais nesse caso são reduzidos, devido a má alimentação, o que acaba levando o indivíduo a ter dificuldades na hora de eliminar as fezes. É recomendado que haja uma alimentação rica em fibras, além de uma boa hidratação.

Vômito: a ânsia de vômito, assim como o vômito em si, é um sinal que as coisas não estão bem com o nosso sistema digestivo. Ele pode ser provocado pelo engasgamento, mas pode surgir quando nós comemos ou bebemos demais, assim como quando o alimento consumido não está em boas condições de consumo. O vômito é uma reação de tentativa que o nosso corpo faz para eliminar algo que ele considera nocivo, através das contrações da musculatura abdominal que acaba forçando a saída do alimento pelo esôfago até a boca, onde o mesmo é eliminado.

Distúrbios hepáticos: ocorrem quando o colesterol (componente da bile) torna-se insolúvel e forma grãos na vesícula biliar, os quais são conhecidos como cálculos vesiculares. Os cálculos acabam dificultando a saída da bile ou até mesmo percorrendo o duto biliar, causando dor. As gorduras trans são bastante responsáveis por aumentar o colesterol, a fim de combater o problema. O colesterol deve ser combatido através da redução no consumo de gordura trans.

Diarreia: é caracterizado pelo aumento no número de evacuações, ou seja, a pessoa vai várias vezes ao dia no banheiro com um intervalo irregular, quando comparado ao costume diário. Esse distúrbio acontece quando o alimento já chegou ao intestino e acaba encontrando-se em más condições como nervosismo ou alergia a algum nutriente. Os movimentos peristálticos então, acabam aumentando para se livrar desse “excesso”. Devido a essa aceleração da passagem do alimento pelo intestino, o mesmo não consegue absorver direito a água presente nos alimentos, levando à fezes aquosas e aumentando o risco da desidratação.

Quais medidas tomar para evitá-los?

  • As refeições devem ser feitas em local agradável, evitando situações desagradáveis e estresse;
  • A ingestão dos alimentos deve ser realizada de forma pausada e moderada, não esquecendo-se de mastigar muito bem os alimentos;
  • Consuma leite, principalmente em casos de refluxo esofágico, lembrando de observar as recomendações diárias;
  • Hidrate-se bem;
  • Cuidado com a postura durante e após as refeições, preferindo manter o tronco elevado em posição vertical;
  • Inclua na sua alimentação, alimentos fontes de fibras, como frutas, verduras e legumes.


Tenho 24 anos, sou Nutricionista graduada pela Universidade Anhanguera de São Paulo. Escolhi essa profissão por ela permitir que eu cuide da saúde das pessoas e leve o conhecimento necessário para que elas possam ter uma vida saudável.

Nenhum comentário

Deixar uma resposta

*