Bebidas Energéticas – Parte II

No post anterior, vimos a definição e a diferença entre as bebidas energéticas. Nesse post, veremos os resultados de alguns estudos norte-americanos e os efeitos colaterais das mesmas.

Recentemente foi feito um estudo nos Estados Unidos, que teve como objetivo detectar se o consumo excessivo das bebidas energéticas teriam relação com o aumento do vício em álcool. Essa pesquisa foi realizada através de dados avaliados com cerca de mil alunos de universidades, onde verificou-se uma importante associação entre essas bebidas. Segundo os pesquisadores, os estudantes que ingeriam uma quantidade elevada de bebidas energéticas, ou seja, cerca de mais de 50 vezes ao ano, apresentaram um risco maior em desenvolver o vício em bebidas alcoólicas.

Essa pesquisa destacou ainda, que os energéticos são compostos por uma grande quantidade de cafeína, a qual pode resultar em diversas complicações, além de da insônia. De acordo com os estudos, a combinação dos energéticos com as bebidas alcoólicas, pode causar um estado chamado de embriaguez desperta, onde a cafeína irá esconder o real estado de embriaguez da pessoa. Porém, isso não diminui os prejuízos que toda essa situação provoca no organismo. Como consequência disso, a pessoa acha que não está embriagada, quando na verdade está, o que acaba induzindo-a a consumir mais álcool. De acordo com os pesquisadores, esses dados deixam evidente a necessidade de outros estudos sobre os possíveis efeitos negativos dos energéticos para a saúde, quando combinados com bebidas alcoólicas.

Efeitos colaterais

De acordo com os especialistas, se os energéticos forem consumidos de modo excessivo, podem trazer sérios efeitos colaterais para o corpo como insônia, aumento da frequência cardíaca e complicações diuréticas.

A cafeína (componente presente nos energéticos), tem a capacidade de acelerar a perda do magnésio e do cálcio pelo corpo, o qual irá apresentar como consequência, o surgimento de câimbras ou até aumentar o risco de osteoporose. Quando consumida em excesso, ela ainda pode causar dependência, por causa da diminuição que provoca no cansaço e em algumas sensações de dor.

Já a taurina pode trazer riscos quando combinada com bebidas alcoólicas, pela sua capacidade em suprimir o efeito depressor do álcool, causando um maior estado de excitação na pessoa.


Tenho 26 anos, sou Nutricionista graduada pela Universidade Anhanguera de São Paulo. Escolhi essa profissão por ela permitir que eu cuide da saúde das pessoas e leve o conhecimento necessário para que elas possam ter uma vida saudável.

Nenhum comentário

Deixar uma resposta

*