Jejum Intermitente

O jejum intermitente é uma estratégia que envolve a restrição total ou parcial do consumo de energia. Essa restrição varia de 25 a 100%.

Ele caracteriza-se como sendo um estado em que o corpo após ficar determinado tempo sem se alimentar, acaba utilizando a gordura estocada no tecido adiposo, ao invés da gordura ingerida na dieta. Com isso, o corpo começa a utilizar como energia, a glicose produzida no fígado e a usar de forma mais intensa o glicogênio muscular e hepático, em detrimento dos carboidratos provenientes da alimentação. Nisso ocorre inclusive o direcionamento dos aminoácidos (elementos constituintes das proteínas) para a produção de energia.

O jejum intermitente deu origem a alguns métodos populares, onde todas as vertentes desse tipo de dieta apresentam momentos cíclicos de jejum e de refeições, fazendo com que uns sejam mais longos que os outros.

Em 2015, foram publicados dois estudos, sendo um do Journal of the Academy of Nutrition and Dietetics e o outro do American Journal of Clinical Nutrition, que são as duas principais revistas científicas de nutrição. Em ambos os estudos, concluiu-se que faltam mais estudos científicos robustos para comprovar o real benefício do jejum intermitente para a saúde.

Porém, existem pequenos estudos que demonstram que o jejum intermitente é capaz de provocar melhorias nos seguintes aspectos: desempenho cognitivo, saúde metabólica, redução da obesidade, diminuição nas condições ligadas a obesidade como a esteatose hepática (gordura no fígado), diminuição da diabetes e câncer, queima de gordura e ganho de massa muscular.

Essa dieta não deve ser indicada e nem feita sem orientação, pois pode aumentar os níveis de estresse e atrapalhar o sono. A desidratação e a fome são sintomas comuns, e podem causar dores de cabeça. Ela é contra indicada para pessoas que estão abaixo do peso, com idade inferior a 18 anos, mulheres grávidas ou em fase de amamentação, pessoas com diabetes tipo 1 que fazem uso da insulina, pessoas com distúrbios alimentares e idosos.


Tenho 26 anos, sou Nutricionista graduada pela Universidade Anhanguera de São Paulo. Escolhi essa profissão por ela permitir que eu cuide da saúde das pessoas e leve o conhecimento necessário para que elas possam ter uma vida saudável.

Nenhum comentário

Deixar uma resposta

*