O perigo dos Fast-Foods

Nas últimas décadas surgiram algumas mudanças nos hábitos alimentares da população brasileira, devido a globalização e industrialização, as quais abriram espaço para um mundo mais moderno e imediatista, quando a questão é se alimentar rapidamente e gastando pouco.

Porém, há um perigo muito presente nesse tipo de alimentação feita geralmente fora de casa, pois os alimentos contêm alta densidade energética e baixo valor nutricional. As indústrias de fast-food, visam atender basicamente as “necessidades” do homem moderno, não se preocupando em ofertar uma alimentação de boa qualidade, ou seja, rica em nutrientes (vitaminas e minerais). Os brasileiros estão cada vez mais adquirindo esse hábito, o qual já é cultural nos Estados Unidos, devido a falta de tempo e comodidade que o mesmo traz. A população norte-americana tem um estado nutricional bastante afetado pela obesidade e isso é comprovado.

Uma alimentação saudável não deve conter a presença de alimentos industrializados (processados, pré-preparados ou prontos), pois o processo de industrialização acaba retirando o sabor original dos mesmos, além de serem acrescidos açúcares, sal e gorduras para aumentar sua durabilidade.

Os fast-foods são práticos, mas acabam acarretando diversas e sérias consequências ao nosso organismo, pois seus componentes (gordura, sal e açúcar) devem ser consumidos em doses mínimas ao longo do dia. Esses componentes, quando consumidos em grandes quantidades, aumentam o risco da obesidade, de doenças cardiovasculares, elevam os níveis do colesterol e podem causar o entupimento das artérias e veias.

O recomendado é que esses tipos de alimentos sejam excluídos da alimentação, mas se houver ainda a “necessidade” de consumi-los, o ideal é que isso seja feito raramente. Lembrando que cada um tem o livre arbítrio para fazer as escolhas corretas quando for se alimentar, ou seja, o que irá consumir, quando, como e onde. As melhores opções serão sempre trocar esses alimentos que não fazem bem por lanches e refeições saudáveis que irão contribuir positivamente para a melhora do seu estado nutricional.


Tenho 26 anos, sou Nutricionista graduada pela Universidade Anhanguera de São Paulo. Escolhi essa profissão por ela permitir que eu cuide da saúde das pessoas e leve o conhecimento necessário para que elas possam ter uma vida saudável.

Nenhum comentário

Deixar uma resposta

*