Saiba mais Sobre a Insuficiência Renal Crônica – Parte II

Na primeira parte, falamos sobre o que é a IRC e suas causas. Nesse post, falaremos sobre os seus sintomas. Confira!

Sintomas da IRC

No início da doença, o indivíduo é assintomático, ou seja, não apresenta nenhum sintoma que leve a suspeita de apresentar a IRC, o que acaba agravando o problema.

Caso a pessoa não tome ciência dos riscos à que está exposta, e não comece a se cuidar, com o intuito de prevenir o desenvolvimento da doença, alguns sintomas (causados pela alteração da função renal) irão aparecer, como:

  • cansaço;
  • noctúria (necessidade em urinar várias vezes ao longo da manhã);
  • fraqueza;
  • dores ao urinar;
  • inchaço no rosto, pernas ou pés;
  • dores na região lombar (na altura dos rins);
  • alterações na urina como presença de espuma, volume (podendo ser maior ou menor) ou mudança de cor (podendo ser mais escura ou avermelhada).

Caso não busque tratamento imediato (assim que perceber os sintomas), outros ainda mais graves irão começar a aparecer, mostrando que a doença está avançando como:

  • anemia;
  • pressão alta;
  • alteração dos ossos e nervos;
  • desenvolvimento de problemas cardiovasculares;
  • diabetes;
  • comprometimento do estado mental;
  • alterações na pele (coceira, palidez, manchas roxas e cor de palha – devido a anemia);
  • acúmulo de substâncias tóxicas (não expelidas, devido às funções renais estarem afetadas), que podem fazer a pessoa ter perda de apetite, vômito, náusea e inflamação no revestimento da boca, levando à desnutrição e perda de peso.

Nos casos mais avançados, especialmente quando a doença é ignorada e não tem acompanhamento médico, podem aparecer os seguintes sintomas:

  • acidente vascular cerebral (AVC ou derrame cerebral) ou insuficiência cardíaca, decorrente da hipertensão arterial;
  • falência renal.


Tenho 25 anos, sou Nutricionista graduada pela Universidade Anhanguera de São Paulo. Escolhi essa profissão por ela permitir que eu cuide da saúde das pessoas e leve o conhecimento necessário para que elas possam ter uma vida saudável.

Nenhum comentário

Deixar uma resposta

*